20160306_canha_0720

Trail Running Canha, modo vassoura

Na primeira edição do Trail Running de Canha, vila perto do Montijo, fui “varrer” o percurso longo.

De boleia com o “pré-Confrade da Vassoura” Bruno Matias (que ia “varrer” o percurso curto) dos Só+1km, chegámos cedo aos Bombeiros Voluntários de Canha para o levantamento dos kits de participação e o convívio habitual.

20160306_canha_0725

A madrinha Isabel Barra andava atarefada de um lado para o outro, como boa anfitriã que é, e apresentou-nos a toda a gente que não conhecíamos, enquanto dividia atenções com a mesa de mistura e o microfone. Ainda pensei que fosse haver karaoke antes da prova mas afinal, não houve.

Depois de café, chá, bolinhos e fotografias, foi dada a partida para a prova maior, e arranquei com 171 participantes à minha frente. Perto do quilómetro dois apanhei os últimos atletas, a Cristina e o Luís, abrandei um pouco, perdi-os de vista e ao quilómetro três encontro dois novos últimos atletas. O João Neves dava assistência a um atleta que tinha dado uma cabeçada, grande, num tronco atravessado (embora sinalizado, estava no topo de uma subida com o sol de frente). O atleta já estava estabilizado, embora ensanguentado e fiquei com ele dizendo ao João para avançar. Descemos até à Estrada Nacional e deixei-o com um carro da organização, seguindo caminho pelo trilho marcado a fita amarela e cal.

20160306_canha_0731

Um quilómetro mais à frente, se tanto, o João esperava-me de novo: “Olha, já se foi toda a gente, não vou conseguir apanhar ninguém, vou contigo, vamos na conversa”. Excelente, boa companhia é o que se quer. Num instante apanhámos a Cristina e o Luís. O Luís seguiu e nós fomos seguindo o três, num percurso bastante corrível, com algumas subidas (muito pouco cruéis), algumas (poucas) poças de lama, uma ribeira (para refrescar), três abastecimentos bem recheados e com voluntários extremamente bem dispostos.

A dois quilómetros do final, aparece em sentido contrário o Bruno, entretanto já Confrade, que tinha vindo a fazer o percurso inverso para me apanhar, e a quem viesse comigo, fazendo então os quatro o percurso juntos até ao final.

Depois da chegada, (largos) minutos depois, a entrega de prémios bem originais aos vencedores. O apuramento dos resultados foi um tanto ou quanto lento mas no final, parece, tudo acabou bem.

Fomos então almoçar e conviver um pouco mais com quem estava presente, entre atletas e organização, comemos grelhada mista (de carne) com arroz e batata, pão, manteiga, água, sumos, vinho, salada de frutas e café, ficando a promessa de voltar em breve a Canha para mais actividades desportivas, ou não, porque a vida não é só corrida ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *