vassourinha

Ser atleta-vassoura, considerações e condições

Acumulo no meu curto currículo desportivo pouco mais de uma dezena de participações como atleta-vassoura, em provas de vários tipos (urbana, estrada e trilhos).

É a experiência suficiente para perceber que algumas vezes correu tudo bem, outras nem por isso, é natural.

Tendo isso em conta, e tentando evitar situações danosas ou dúbias de parte a parte, elaborei um conjunto de condições que passo a colocar a cada organização que me contacte para questionar se quero ser vassoura na prova, sendo-o somente caso haja o compromisso das mesmas serem cumpridas, propondo-me em contrapartida a exercer essa função com brio e diligência, até ao fim, excepto em caso de lesão ou acidente.

Comecei por partilhar a lista com um grupo restrito e obter algum feedback, de seguida partilhei-a com um grupo alargado e agora torno-as públicas, e à consideração de todos.

Não quero com isto criar “um movimento” nem nada que se pareça (não faz parte da minha natureza), pretendo apenas partilhar com o Mundo as regras pelas quais me passo a gerir para executar essa função.

As condições

  • Na prova, igualdade de escalões masculino e feminino;
  • Existência de controle zero, de forma a saber exactamente quantos atletas começam e estão em prova;
  • Material obrigatório para os participantes, no mínimo telemóvel com bateria e saldo, recipiente para água, apito e manta de emergência;
  • Poder de “fiscalização” ao(s) atleta(s) vassoura(s) para indicarem a desclassificação de atletas que não transportem consigo o material obrigatório;
  • Cada um dos atletas vassoura deverá estar inscrito como se de outro participante se tratasse, tendo seguro de prova activo e todas as regalias dos participantes, incluindo kit de participante, refeições e prémio de finalizador;
  • Pelo menos um atleta vassoura por cada distância disponível para TC ou TL. Caso a dificuldade seja >= TL3 ou a prova >=UT, pelo menos dois atletas vassoura por distância;
  • A remoção das fitas de marcação e restante sinalização deverá ser feita somente após a chegada do(s) atleta(s) vassoura de todos os percursos, excetuando em provas multi-dia, por etapas ou com percursos 100% diferenciados entre distâncias;
  • Os abastecimentos deverão manter-se em funcionamento, mesmo que em versão reduzida, até à passagem do(s) atleta(s) vassoura;
  • A organização tem de garantir que tem forma de comunicação constante com os atletas vassoura, mesmo quando não exista rede móvel. Nesse caso a organização terá de garantir essa comunicação via rádio;
  • Em caso de retirada do(s) atleta(s) vassoura de prova devido a todos os atletas já terem chegado ao seu destino (excepto aqueles que os mesmos estão a acompanhar) e/ou o tempo de prova ter sido ultrapassado, a organização terá de classificar o(s) atleta(s) vassoura como finalizadores da prova, sendo isto válido também para pontos UTMB e ITRA.
  • O(s) atleta(s) vassoura não poderão ser retirados da prova sem a sua expressa vontade enquanto se encontrarem dentro do tempo limite de conclusão da mesma (substitui o ponto anterior, rasurado);
  • Por cada atleta vassoura, oferta de mais duas inscrições/dorsais/refeições;

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *