20150326_bus_vazio

Quanto vale um minuto dos teus?

Na semana passada vi o Filipe Gil a partilhar um artigo sobre a eficácia dos Alemães no trabalho, algo assim. Li o artigo e fiquei a pensar no assunto. No escritório, partilhei o tema e o artigo com os colegas e, no seguimento da conversa que se gerou, pensei sobre a minha “eficácia” e pensei em quanto custaria um minuto meu.

Geralmente, vou para o escritório de autocarro (da Carris). Tenho a “sorte” de apanhar somente uma carreira de casa ao escritório e vice-versa. Nesse dia, em que não tinha o “passe carregado” e tive de comprar bilhete de manhã, optei por ir a pé para casa à tarde. Quando cheguei, fiz contas.

Partindo do princípio que o meu vencimento são 1.000€ líquidos (é um princípio, um ponto de partida, não quer dizer que receba essa vencimento, o valor serve somente para “simplificar” as contas) e supondo que trabalho cinco dias por semana, oito horas por dia, isto dá dez mil, quinhentos e sessenta minutos de trabalho por mês. Por consequência, isto equivale a um vencimento líquido de 0,09€ (líquidos) por minuto. É isso, nove cêntimos de euro (líquidos) por cada minuto do meu trabalho.

Voltando à viagem de autocarro, foram estas as contas que fiz então:

A pé, demorei 40 minutos a chegar a casa, o que equivale a 3,79€

De autocarro, demoro geralmente o mesmo tempo, 40 minutos mas, acresce a isso o valor do transporte, 1,80€ caso seja uma viagem comprada ao motorista ou, 0,80€ uma utilização do “passe”, partindo do princípio que o mesmo custa 35€, é usado vinte e dois dias por mês, em duas viagens diárias.

De qualquer das maneiras, a viagem de autocarro fica entre 4,58€ e 5,59€ (por causa do arredondamento) mais caro do que a viagem a pé. Bem sei, a pé desgasto meias e sapatos mas, falamos de uma poupança de entre 0,80€ e 1,80€. Mesmo que a poupança seja a do valor mais baixo, são 17,50€ de poupança por mês, dá para uma ida ao Sushi e ainda sobra alguma coisa para ir ao cinema, por exemplo.

Claro que, isto não é aplicável a todos os casos, quem demore mais, ou apanhe mais transportes, ou tenha um passe mais caro perde rapidamente esta vantagem mas, no meu caso, rende sem dúvida mais ir e vir para e do escritório a pé.

Isto levou-me, é claro, a pensar nos pequenos gastos de tempo diários, que todos temos, e que não contabilizamos. Partindo sempre desta base, imaginemos alguns tempos e valores:

  • Lavar a loiça do jantar, 20 minutos, 1,89€;
  • Ir “beber um cafézinho à rua”, 7 minutos, 0,66€;
  • Ir ao Facebook, deixar uns likes e um ou dois comentários, 3 minutos, 0,28€;
  • Ir correr 60 minutos, 5,68€;

Isto tudo são tempos aproximados, é claro (excepto os sessenta minutos a correr) e para além disso, são valores líquidos e subjectivos, porque por exemplo podemos dar mais valor ao tempo que passamos em família do que ao tempo que passamos a trabalhar mas, a questão base é, quanto vale um minuto dos teus?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *