Treino UP, UP and away

Um treino UP, UP Partner and away!

Sábado à tarde, treino de preparação para a corrida UNICEF do próximo Domingo, com colegas de trabalho, no Parque das Nações.

Sendo a UP Partner (a empresa onde trabalho) participante na organização da corrida UNICEF em Lisboa, de dia 6 de Julho, decidiu a mesma organizar internamente um treino de corrida para os membros da nossa equipa interessados, e que vão participar na prova, divididos entre caminhada de 3km e corrida de 10km.

Assim, no passado Sábado à tarde fomos quase cinco a responder ao desafio. Quase cinco porquê? Já lá vamos… Tendo sido convidado para orientar o treino, fiz o melhor que pude e, sendo os participantes (à minha excepção) praticantes irregulares de exercício físico, optei então por um treino mais genérico e funcional do que um treino de corrida “clássica”, pura e simples.

Com encontro marcado para as 17h00 no Parque das Nações, em Lisboa, começámos o treino dentro de uma tolerância já alargada, devido ao quinto elemento que estava a caminho mas “perdido algures na estrada” ou “preso algures no trânsito” não percebi muito bem mas acho que foi uma mistura dos dois.

Fomos para o lado da Ponte Vasco da Gama, correndo devagar para aquecer e falando de conceitos como cadência, respiração e postura (coluna, ombros e centro de gravidade). Na zona mais arborizada, alguns exercícios de força (polichinelos, pranchas, e burpees, no final), e alguns exercícios de velocidade (séries em estafeta e 10-20-30).

Os presentes responderam muito bem ao estímulo, e inclusivé os mais friorentos rapidamente se livraram dos casacos que levavam, desejando nunca o terem feito. No total foram quase 6km de corrida, junto com os outros exercícios, em uma hora e seis minutos, e o resumo do treino está aqui.

Depois do treino, aparece finalmente “o quinto elemento”, com o seu namorado, para o magnífico bolo que a Inês tinha levado. Ela, a Inês, nesse dia, celebrava o seu 28º aniversário, e que melhor maneira de o fazer senão levando um bolo caseiro para comer com os colegas depois do treino?

No final do bolo, a Inês foi-se embora para o resto do dia em festa, o Pedro foi (devagar) para o carro, eu e o Miguel, a Vânia e o Diogo fomos à Fnac e depois arrancámos cada um para seu lado, porque a vida não é só corrida ;)

 

Algumas considerações pessoais mais ou menos profundas

A compartimentação dos vários aspectos da nossa vida é “normal” e “comum”. Todos o fazemos até certo ponto: os amigos, o trabalho, a família, os amigos do Facebook, os amigos da vida real, os amigos do Twitter, os amigos do Instagram.

Separamos os colegas do trabalho dos amigos do trabalho. Com uns saimos, com os outros almoçamos, com os outros nem pensar, porque não nos identificamos. Todos o fazemos até certo ponto mas, um certo grau de mistura é, na minha opinão o mais saudável a fazer. O que não é saudável é sermos uma pessoa diferente em cada ocasião.

Assim, para mim, é perfeitamente normal “num sábado à tarde onde poderia estar a fazer outras coisas”, juntar-me a alguns colegas de trabalho e fazer algo saudável e divertido (até pode não ser muito saudável, tipo almoçarada ou petisco, pronto). Isso não é trabalheira nem seca para mim, faz parte. Momentos de diversão extra-escritório (ou fábrica, o que fôr) com as pessoas com quem passamos mais horas por dia acordados (os colegas de trabalho no caso) são, para mim, importantes e úteis, saudáveis à sua maneira, pois permitem-nos ver que por baixo da cobertura tantas vezes necessária no escritório, existe um ser humano tão de carne e osso como nós, com as suas forças e fragilidades e, por vezes, surpreendente.

Felizmente para mim, ao longo dos anos, tenho feito várias e duradouras amizades com pessoas com quem me tenho vindo a cruzar profissionalmente. Isto pode ser incompreensível e incomportável para alguns, para mim não é, e assim espero poder continuar por isso, aos que estiveram presentes, fica o meu muito obrigado pela companhia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *