20150905_10km_tagarro_blog

10km de Tagarro em 2015

Estive para ir à edição de 2014 dos 10km de Tagarro, mas não foi possível devido a uma festa na piscina para crianças. Este ano no entanto, a presença não falhou, e rendeu mesmo ir “correr na aldeia”.

A convite da organização, os Ronhonhós Running Team sairam de casa no Sábado cerca das 15h30, e fizeram o caminho de cerca de uma hora até Tagarro para participar na prova. A Aldeia, perto de Alcoentre, engalanou-se para nos receber todos os participantes na corrida homologada de 10 quilómetros, que dava duas voltas à Aldeia.

Antes, durante e depois do levantamento dos dorsais e do magnífico kit de participante (que incluia bolos regionais, garrafa de vinho, camiseta técnica e um livrinho que falava sobre a prova) fomos encontrando várias amigas e amigos comuns neste meio da corrida (não confundir com meio do running), para além dos contemplados com participações nos treinos Escadinhas & Subidinhas.

Dada a partida, arrancámos de trás, colados à banda, e progredimos no nosso ritmo confortável de dois adultos e um carrinho de bebé (de roda pequena). A população na rua apoiava a nossa passagem, na zona rural é claro, quase ninguém presente exceptuando os elementos do “staff” com as suas vistosas camisolas laranjas, e que se asseguravam que todos os participantes estavam bem e no caminho certo.

O percurso foi variado e, na minha opinião, duro na escala três em cinco, mas no entanto bastante agradável. Subidas, descidas, curvas e contra-curvas criaram uma prova nada monótona e bastante desafiante, mesmo sendo duas voltas ao mesmo percurso.

A Sara adorou, não dormiu sequer, indo sempre atenta ao meio envolvente, sendo que a paisagem variada, não era atrita ao sono. A Elsa, deu o máximo e fomos, diria, 95% do tempo a correr, abrandando somente à chegada dos abastecimentos, onde hidratámos sempre convenientemente (havia água de sobra) devido ao calor e humidade que se fazia sentir no ar.

Pelo caminho o Director da Prova, Rui Vieira, ia aparecendo e desaparecendo num veículo da organização, tendo feito inclusivé cerca de 500 metros a correr conosco, já perto da chegada, e indo depois para trás buscar o último participante, um cavalheiro de 81 anos.

Durante a prova fiz uma asneira, e das grandes… Estreei umas sapatilhas Skechers Gorun Ultra 2 que a Elsa me ofereceu no aniversário. Brincadeira, não fiz asneira nenhuma. As sapatilhas são, conforme eu previa, super confortáveis e leves. Usei-as sem a palmilha interior, reduzindo o “drop” de 8mm para 4mm, não me fez nenhuma abrasão nem fiquei com nenhuma dor esquisita nem lesão, lá se vai o mito de que não se deve estrear equipamento em dias de prova.

Após a chegada, e enquanto esperávamos o último participante, a empresa encarregue da cronometragem ia desligando o relógio da chegada. “Chamei a atenção” de que faltava um atleta ainda em prova, e disseram-me “não falta nada”, “ó cavalheiro falta sim que ainda agora nos cruzámos com ele a ir para lá”, “Pronto mas não faz mal, vou desligar na mesma”, o costume, nada a que não esteja habituado naquela empresa, o pouco respeito pelos atletas.

Chegado o último participante, fomos mudar de roupa ao carro. Voltados de lá já com roupa “seca”, fomos à festa final. Jantar de porco no espeto (para quase mil pessoas), melão, vinho e água à descrição, não é em todo o lado que se vê festa assim. Já não assistimos à cerimónia de homenagem à madrinha da prova mas vimos a feirinha de artesanato montada especialmente para o dia.

Vimos também a entrega dos prémios ou, parte dela, tentativa de, sei lá… A empresa encarregue da cronometragem teve um “problema técnico inesperado” que manchou o final da festa que, em vez de acabar em aplausos acabou com pedidos de desculpa por parte da organização, e protestos por parte dos atletas. É pena, ver uma festa tão bonita e tão bem preparada pelo povo de uma aldeia como Tagarro acabar desta forma, e ser sempre “mais do mesmo” com aquela empresa. Não é a primeira vez que assisto a uma situação semelhante, e não será, diz-me a minha intuição, a última, para quando concorrência “à séria” a essa “instituição”?

Festa acabada, despedidas feitas, regresso a casa, no geral contentes com a prova. Para nós, os Ronhonhós Running Team, determinar a posição na classificação foi simples, e a Sara de certeza que ficou em primeiro lugar no escalão “participante em carrinho de bebé”. O nosso prémio foi um fim de tarde em família e entre amigos, a praticar uma actividade saudável no campo.

Voltaremos com certeza porque os 10km de Tagarro não são uma prova de “running”, são uma corrida, daquelas à séria.

One comment

  1. Manuel Veigas

    Grande João e grandes Ronhonós!!

    O anos passado a equipa cá de casa fez a corrida exactamente como vocês! Carrinho incluído! E curiosamente também chegou um senhor já com bastante idade depois de nós – talvez o mesmo?! A provar que se lá chegar ainda há hipóteses para mim :)

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *