Trilhos do Monsanto (Pirata), 2014

Trilhos do Monsanto (Pirata) de 2014

Em 2012, li algo como isto no Facebook “Tinha na minha agenda uma prova no dia 26 de Agosto, chamada Trilhos do Monsanto. A Troika atacou e a prova foi cancelada. Mas eu não corro por prémios nem troféus portanto vou lá na mesma. Se alguém quiser vir é só aparecer.”

Era um evento no Facebook para 26 de Agosto desse ano, criado por “um tal de” Paulo Pires. Nessa altura, eu corria, mas pouco, muito pouco. Não que agora corra muito mais mas, nessa altura ainda nem uma Meia Maratona tinha corrido, quanto mais ir correr a Monsanto? Nessa altura para mim correr era a direito e correr no Estádio do Jamor era correr em trilhos.

No ano passado, em 25 de Agosto, já lá estive então, a convite do Luís Boleto, e a fazer de vassoura no percurso. Reza a história que antigamente existia uma prova de corrida, algures no último fim de semana de Agosto naquele percurso. Essa prova entretanto, acabou. E tendo isso em conta, o espírito é mantido vivo assim, pirata mas sem ser pirata, pois não se pode piratear algo que não existe, ao certo é recriar.

Este ano foram cerca de 75 100 (104, segundo a contagem feita pelo Orlando Duarte em cima do viaduto no arranque, mas ainda vi outros a aparecerem no meio) que os animados recridores presentes no pulmão de Lisboa na manhã do último dia de Agosto, a percorrer o percurso de cerca de 12km dos Trilhos do Monsanto (Pirata). Na noite anterior, o Luis Parro tinha tirado as pedras e galhos do caminho, felizmente para nós. Desta vez não fiz de vassoura, fui no primeiro terço do pelotão mas não foram necessárias muitas indicações, pois o percurso estava devidamente assinalado de uma forma ecológica e biodegradável. Fui sendo acompanhado pelo Vasco e pelo Luís, até chegarmos ao final, onde o convívio inicial continuou por mais um bom bocado.

Por curiosidade levei praticamente a mesma roupa do ano passado e, ilustro este ensaio com algumas fotografias de descubra as diferenças. Foi uma manhã bem agradável, onde revi algumas caras conhecidas e conheci algumas caras novas, e onde senti falta de algumas caras também mas, as coisas são mesmo assim.

Na hora de despedida, ainda fui a correr até à grande superfície de desporto ali de Alfragide, contornando Monsanto por baixo, onde me iria encontrar com a Elsa e a Sara para almoçarmos juntos, porque a vida não é só corrida ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *