strada_review_cover__IMG_7866

Skechers GOrun Strada, a análise

Depois do unboxing e de três testes reais no terreno, ficam aqui a análise e as impressões finais acerca dos Skechers GOrun Strada, que a marca me convidou a testar.

strada_review_01__IMG_7866

Depois do teste numa corrida urbana com o Pijama team no evento Pijama team nas escolas, a análise inicial foi positiva. Bastante leves e confortáveis para um jogging ligeiro.

strada_review_03__IMG_7866

Mais uns dias depois, enquanto estive 31 horas a trabalhar remotamente, foram cerca de 21 quilómetros entre Santa Apolónia e Monsanto, incluindo passagem por troços de terra batida, pouco técnicos, troços estreitos com algumas pedras, galhos e folhas. As sapatilhas portaram-se convenientemente dentro do esperado, incluindo passagem em alguns pontos com lama, relva e folhas molhadas, sem nunca me sentir em perigo de escorregar.

strada_review_05__IMG_7866

O último teste, foram cerca de 17 quilómetros a direito, à beira Tejo, numa tirada entre o escritório e casa, alternando entre o passeio de calçada portuguesa e o alcatrão.

strada_review_07__IMG_7866

O alcatrão e o estradão de terra batida. Estas parecem-me ser as superfícies ideais para estes Skechers GOrun Strada, umas sapatilhas leves e confortáveis. Já tinha referido que o drop (8mm) e a altura ao chão (17mm à frente e 25mm atrás) são bastante elevados para o que eu estou habituado mas, a nível de suporte aguentam bem as médias e longas distâncias, e essa altura do chão acaba por absorver melhor as irregularidades do terreno.

strada_review_06__IMG_7866

Os Skechers GOrun Strada eram a opção B para a Maratona de Lisboa do passado fim de semana, mas, visto a opção A (as GOrun Ultra 2) estarem “no mecânico”, optei por algo mais “conversador” e menos almofadado para a prova rainha.

A marca poderá ter alguma associação ao estilo de “sapatos casuais”, mas a sua linha desportiva tem dado que falar (e escrever). Já tinha um modelo da marca (de corrida), e tenho na minha “lista de compras”  outros modelos, mais minimalistas e menos amortecidos.

strada_review_02__IMG_7866

Com um preço de tabela (em Outubro de 2015) de 134,95 €, não se podem considerar umas sapatilhas low-cost, mas conseguem encontrar-se em algumas lojas com desconto de 20%, tornando-se assim mais apetecíveis para a carteira.

Em jeito de resumo, estas seriam umas sapatilhas que recomendaria a quem procurasse conforto e amortecimento, considerando no entanto o seu preço base um tanto ou quanto elevado, se o preço de tabela fosse logo com os tais 20% de desconto, era bastante mais fácil de as recomendar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *