20190910_lampas

40ª Meia Maratona de São João das Lampas

A quarta participação na segunda mais antiga Meia Maratona em Portugal foi uma viagem de altos e baixos ali para os lados da Serra de Sintra.

De novo com o dorsal #001 (obtido não por mérito desportivo nem pessoal mas sim por ser o primeiro na fila para me inscrever) fui para São João das Lampas com as Ronhonhós, a Paula e o Quico. Chegados uma hora antes da prova, era mais que muitas as caras conhecidas presentes, mas no entanto senti a povoação mais “vazia” talvez. Talvez devido ao facto de este ano não haver caminhada, não sei.

Dada a partida, fui focado totalmente na prova e nas minhas sensações durante a mesma. Os objectivos eram dois, encadeados, sendo que o principal seria terminar com um tempo melhor do que na 39ª edição, e o secundário manter a pulsação estável, quer a subir, quer a descer.

Foram ambos cumpridos em pleno, os objectivos. Embora alguns amigos quisessem “conversa” durante a prova, não me podia distrair, tinha de manter o “foco”, e sempre que alguém chegava perto de mim, fugia. Fui ali “certinho e direitinho” na batida cardíaca-alvo, sem hesitar, nem parar nunca durante a prova (felizmente desta vez a fisiologia não me traiu) e, chegado ao final, tirei um minuto ao tempo do ano anterior.

Um minuto, para quem não treina velocidade, digo eu, é bom. Um minuto a menos naquele carrocel de altos e baixos, chegando ao final com fôlego, com cor e sem ser a cair para o lado, para mim foi uma vitória, para os outros, vale o que vale, é mesmo assim.

Durante a prova, bastante apoio nas povoações, e bastante silêncio nas zonas mais rurais, sendo que este ano houve uma diferença, apanhei “trânsito automóvel” durante a prova, algo que nos outros anos nunca tinha dado por ele.

No final, depois de chegar o último concorrente, fomos embora das Lampas, para jantar ali perto num restaurante que a Elsa tinha debaixo de olho e que foi uma ótima escolha, admito

Voltarei com certeza em 2017, à prova (espero que com o dorsal #001 de novo), e ao restaurante, porque a vida não é só corrida ;)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *